Morre jovem baleado durante briga por estrago em calçada, em Goiás

O jovem Hudson Lopes Gomes, de 25 anos, que havia sido baleado durante briga por causa de uma calçada quebrada, morreu nesta segunda-feira (1º), em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. O sogro da vítima, o mecânico Alcir Lopes de Melo, de 46, que estava envolvido na discussão, também morreu a tiros. O vizinho do mecânico, o serralheiro Galeno da Costa Rosa, de 58 anos, é suspeito de cometer os assassinatos e foi preso.

A confusão aconteceu no domingo (31). Segundo familiares de Alcir, ele e Hudson estavam em um carro manobrando para entrar na garagem, quando quebraram um pedaço da calçada da residência do suspeito. A esposa de Alcir disse que o marido e o vizinho começaram a discutir e o homem buscou uma arma e atirou.

Gomes foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) José Póvoa Mendes em Rio Verde, mas não resistiu.

O delegado que investiga o caso, Wellington Lemos, explicou que deve ouvir testemunhas do fato e aguarda resultado de perícias. “Nós estamos agora intimando as testemunhas presenciais dos fatos. A arma do crime foi apreendida e será periciada. Aguardaremos os laudos periciais para a remessa do inquérito policial ao poder judiciário local”, afirmou.

‘Defesa’
O delegado Carlos Roberto Batista, que registrou o flagrante, afirmou que o suspeito disse à Polícia Civil que foi perseguido pela dupla após a confusão e que pegou o revólver calibre 38 apenas com a intenção de se defender.

“Ele alega que foi agredido pelos dois e que quando entrou em casa, o vizinho e o genro foram atrás e chutaram o portão para tentar entrar. O Galeno disse que ficou com medo, pegou a arma e disparou”, disse o delegado ao G1.

Batista, no entanto, crê que o serralheiro tinha real intenção de cometer os crimes. “Houve uma briga e isso é fato. Mas mesmo que isso tenha ocorrido, as vítimas não foram baleadas dentro da casa dele. Ele saiu para a rua e efetuou os disparos, o que desmonta essa justificativa”, pondera.

Após o crime, a Polícia Civil encontrou Galeno dentro da casa, escondido embaixo da cama. Além do homicídio e da tentativa de assassinato, ele também foi indiciado por posse ilegal de arma, uma vez que não tinha o registro da arma.

Família lamenta
Segundo familiares de Alcir, ele e genro estavam em um carro manobrando para entrar na garagem, quando quebraram um pedaço da calçada da residência do suspeito. A esposa de Alcir disse que o marido e o vizinho começaram a discutir e o homem buscou uma arma e atirou contra a vítima.

O mecânico e a esposa moravam na casa há um mês. “Eu não conhecia ele [vizinho]. Eles estavam brigando porque bateram o carro no meio fio. Ele entrou na casa e quando saiu, já estava armado e atirou no meu genro e no meu marido”, disse a auxiliar de produção Geimeire da Silva.

Compartilhe com seus amigos:
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Related posts

Leave a Comment

Não sou um robô *